29/08/2007

Aditivos para gasolina e etc...mitos e verdades...

Óleos, aditivos, combustíveis e etc ...mitos e verdades...


Uma leitora, nos perguntou sobre os aditivos que oferecem nos postos de combustível, comentando que, ofereceram a ela um aditivo que faria seu carro economizar 20% de combustível, ora a nossa leitora tem que imaginar o seguinte, que se este aditivo mágico economiza-se 20%, em um tanque de 50 litros, renderia 10 litros a mais, não é? Então se o carro dela fizesse 10 km/l de veria fazer 12 km/l. Coisa de mágico;


1- É fácil você fazer o carro gastar 20% a mais, é só você fazer uma condução violenta, mesmo com o seu econômico carrinho 1.0, se você pisar forte, frear forte, empilhar as marchas ou usar a marcha inadequada em subidas você vai gastar muito combustível. Então quando dizem que o seu carro faz 14 km/l, isso é restrito à “condições ideais”, em que o seu carro, com carga média, temperatura e umidade do ar normais, todas as condições médias. Para piorar o consumo é fácil, mas para melhorar desta média em diante, é praticamente impossível.


2- Quando alguém conseguir, com um aditivo, 20% a mais de rendimento, ele deve ser considerado gênio. Deve vender seu segredo para qualquer equipe de Fórmula 1, a preço de diamante. “Tá rico”, descobriu a pólvora! Eu garanto, ninguém até hoje, com tantas promessas de milagres conseguiu isso. Então a melhor maneira é manter o seu carro com as revisões que a fábrica recomenda, com a manutenção em dia e pronto!


3- Óleos lubrificantes, “plus”, “master”, “power”, “hiper”, = BOBAGEM, isto mesmo! Quando você ler isso em uma propaganda, leve em consideração o que está escrito no manual do seu carro (isso mesmo, vai ter que ler o manual sim). Lá diz provavelmente assim, usar lubrificante multiviscoso 20W-40, ou algo assim. Isso significa que o óleo recomendado é um óleo de boa procedência, de marcas conhecidas à anos, só não use óleos “tabajara”. Todos os outros de companhias de petróleo conhecidas, ou da marca vendida pelo fabricante do seu carro são ideais, respeitando-se as especificações! Ou seja, se 20W-40 é suficiente, não quer dizer que o óleo 5W-60, vai transformar o seu carro em um Fórmula 1, vai continuar a ser o mesmo, portanto, não adianta colocar um óleo de R$ 70,00/litro e não trocar o filtro de óleo nunca entendeu? Faça a manutenção de forma regular e pronto, não se preocupe o seu carro está na sua GARAGEM para te servir, não para te explorar!!


4- PROMESSAS – Sempre que você tiver alguma dúvida sobre promoções de produtos maravilhosos, veja a verdade na Bíblia do seu carro (manual) a verdade está escrita. Já imaginou se, para ter uma vida longa, um motor precisasse ser tratado como neném, o que seria dos TAXIS que são profissionais, e, duram mais que um carro tratado a talco e perfume? É isso mesmo, só dê a atenção mínima necessária, o seu veículo já será bem feliz assim.


5- POTÊNCIA – Quando alguma empresa ou pessoa te oferecer alguma coisa que aumente a potência do seu carro, óleo, aditivo, etc... Lembre-se do CORSA da Chevrolet, quando saiu em 1994 tinha 58 HP, depois vieram algumas modificações na injeção, mais tarde o “VHC”, e hoje tem 70 HP, doze anos de evolução técnica e ele aumentou em 20 por cento a potência, milhões investidos em pesquisa para um aumento de potência que deixasse o motor moderno, econômico e confiável, não é qualquer líquido misturada ao combustível, ou um aparelho fabricado no meu quintal que vai passar para trás equipes de engenheiros, dinamômetros, laboratórios.


6- CONCLUSÃO – Fazendo o necessário que está escrito no manual, você poderá ter o carro confiável que você comprou. Boa Sorte!!!


Roberto Crestani


(PRÓXIMA EDIÇÃO: PNEUS, VALE A PENA AS MODIFICAÇÕES?)

6 Comentários:

Paulo André disse...

ÔÔÔ Betão!!! Que legal, gostei da maneira, que você escreveu, nunca ví a coisa tão clara!!! Parabéns.

6 de Setembro de 2007 03:59

 
zécarlos disse...

Aqueles aditivos para aumentar a octanagem da gasolina, funcionam? Fazem diferença? Valem a pena?

26 de Setembro de 2007 15:20

 
Garagem & Cia disse...

Uma diferença tão mínima (ou nenhuma diferença) que não compensa o preço a ser pago pelo frasco da aditivo.

2 de Outubro de 2007 12:29

 
marcelonunes disse...

Roberto

Sou engenheiro automobilístico, já tendo trabalhado na Mercedes, VW e Petrobrás.
Esse seu artigo diz, com extrema correção e numa linguagem clara e direta, o contrário tudo que os "entendidos" e "mechânicos" apregoam por aí.
Que tal um artigo sobre a inutilidade do uso de gasolina Premium em motores de baixa compressão?

3 de Outubro de 2007 04:09

 
Garagem & Cia disse...

Ficamos honrados com a sua visita e agradecemos seus elogios.
Agradecemos sua sugestão que já será tema nesta próxima edição, que sairá dia 10 de outubro.

3 de Outubro de 2007 11:16

 
Anônimo disse...

gostei do seu comentário, mano véio. bem claro e incisivo. vamos em frente.

3 de Outubro de 2007 13:56

 

Postar um comentário

<< Início